Almeida-Alves, pensamento, anos 40 e HAKUNA MATATA

Várzea Grande, 14 de junho de 2008. 0:20am



...mais um post inútil...





Como tinha dito a vocês no fim do post passado, algo de muita importância acontecerá em meu âmbito familiar. Na verdade, nesse exato momento ainda não aconteceu (repeti novamente a palavra, hehe!). Minha irmã já esta em um hospital da cidade e dentro de poucas horas irá ter seu segundo filho (na verdade será uma menina) aqui em casa todos estão apreensivos com a chegada dessa nova integrante na família Almeida-Alves, e espero que tudo possa correr bem lá no hospital onde ela espera o momento do parto (provavelmente será do tipo normal). Fiquei contente de saber que um colega meu irá usar parte de um texto que escrevi aqui no blog para propor no dele (blog) uma discussão a cerca do consumismo desenfreado da sociedade. Ainda creio que essa característica esta longe de ser mudada... Às vezes penso em um mundo onde o dinheiro não compra ou traz tudo que um individuo realmente necessite. É um pensamento literalmente INUTIL, mas em certas horas penso sobre isso. Acho que se eu fosse nascido nos anos 40, provavelmente aos meus 25 anos, eu seria um Hippie. Fora a busca pela “liberação da mente” gosto de alguns aspectos do estilo de vida que levavam essa famosa vertente da sociedade que surgiu na 2° metade do século passado. Qualquer dia desses vou recomendar no quadro “dica (in) útil de filme” o longa HAIR, de 1979. hoje, sábado, mais uma vez vou fazer a convocação dos membros do grupo de rock CONSUMIDORES para um treinamento no espaço comunitário do bairro onde moro. E dessa vez, espero finalmente poder ver a performance das candidatas a vocalista da banda, já que sábado passado, as mesmas não foram. Agora tenho de ir. Desejo a todos(e todas) um excelente dia (graças a Deus é fim de semana), fiquem em paz, e até mais.






Dica (in) útil de filme para hoje (ou qualquer outro dia):


O REI LEAO 3 – HAKUNA MATATA (the Lion King 11/2) EUA, 2004



Considero esse capitulo da serie meio que como um “Forest gump” da serie, já que todo o enredo se passa no mesmo período do 1° capitulo. Basicamente todo aquele fato é recontado agora sob a ótica dos eternos carismáticos coadjuvantes Timão e Pumba, inventores do estilo-boa-vida “Hakuna Matata”. A semelhança com o filme citado no inicio do texto é devido ao fato que muitos acontecimentos importantes da 1° trama só foram possíveis graças a algumas intervenções por parte da dupla atrapalhada (a melhor é a que se passa durante o momento de reverencia ao novo filhote de Mufasa). Há também muitas complementações, por assim dizer, daquele enredo, explicando sobre a origem do suricate Timão, o 1° e inusitado encontro com o grande amigo javali alem de mostrar um pouco da adolescência do leão Simba. Gosto mais desse ultimo (quem sabe não haverá mais!) episodio da serie que o anterior (O REI LAO 2 – O REINO DE SIMBA), mesmo não tendo de fato, uma “nova” historia a ser contada, já que o episodio não é precisamente uma continuação dos fatos acontecidos do 2° filme. Obviamente recomendo que assistam o 1° longa para uma melhor compreensão. Mas pelo imenso sucesso que fez a premiada fita de 1994 (Oscar de melhor trilha sonora original e melhor canção para a composição do cantor elton John e Tim Rice), acho pouco provável que alguém que curte um mínimo de cine possa não te-lo visto (ou não!). E pensar que esse tipo de animação hoje em dia esta com os dias contados, pelo menos no ramo da animação estadunidense.



(The Lion King 1½, EUA, 2004)


Diretor(es): Bradley Raymond


Elenco: Nathan Lane, Ernie Sabella, Julie Kavner, Jerry Stiller, Matthew Broderick (1), Robert Guillaume, Moira Kelly (1), Whoopi Goldberg, Cheech Marin, Jim Cummings, Edward Hibbert, Jason Rudofsky, Matt Weinberg, Tony Anselmo, Jeff Bennett


um trecho de 8 minutos do filme:











feito por Jeniss Alves Walker
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...