Chiwetel Ejiofort Brilha em seu melhor trabalho

Varzea grande, 12 de junho de 2008. 09:30pm


...mais um post inútil...




De inicio, imaginei que o famigerado e inútil (minha opinião) “dia dos namorados” era mais uma data inventada pelo comercio (acho que o “dia da vovó provavelmente surgiu a pouco tempo), mas depois de ler um pouco a respeito vi que o assunto é mais antigo do que parece. Pra ser sincero, não sou muito fã dessas datas festivas “alternativas”, como o dia das mães, dos pais, dos namorados, ou qualquer coisa que se assemelha a esse assunto. E o interessante é que o comercio em geral (oportunista como sempre) transforma essas datas em eventos imperdíveis para os consumidores em geral, ou seja, pregam uma filosofia indecentemente consumista – como se estivesse condenando a pessoa que não presenteia um amigo, pai, mãe, namorado(a), avó, e por aí vai. Sobre isso não tenho mais nada a acrescentar...até porque as vezes tenho alguns ataques de consumista desenfreado (algo que precisa urgentemente ser corrigido).


Um colega pediu para que eu passasse todos os animes de meu acervo a ele. Em 6 meses, consegui aproximadamente 40GB desse material. Já passei quase metade de meus seriados a ele (FULL METAL ALCHEMIST, NARUTO, DEATH NOTE, SAMURAI X...)até o fim dessa semana pretendo completar minha coletânea pessoal dos longas do diretor Hayao Myiazaky (MEU AMIGO TOTORO)...agora só esta faltando PRINCESA MONONOKE. Espero que amanha eu possa estar aqui escrevendo a vocês sobre algo que acontecerá que é de grande interesse a minha família. Tenho de ir. tenham todos uma ótima sexta-feira, fiquem com Deus, e até mais.




Ecutando enquanto escrevo: “let it be” – pessoalmente falando, essa é a canção mais bela e uma das ultimas que fizeram sucesso da eterna banda inglesa THE BEATLES.




Dica (in)útil de filme para hoje (ou qualquer outro dia)


KINKY BOOTS – FABRICA DE SONHOS (kinky boots),2005.



Taí um assunto pouco visto nos filmes: enredos que exploram e desmistificam a figura do drag-queen (transformista pra alguns). Por outro lado, boa parte das fitas sobre o tema tem qualidade às vezes até superior ao de comedias “mais corretinhas” – PRISCILLA e PARA WONG-Foo são os exemplos mais conhecidos.



Todo o enredo de KINKY BOOTS – incrivelmente baseado em fatos verificos – se passa em uma pequena cidade interiorana da Inglaterra; boa parte dos moradores trabalha em uma centenária fabrica de sapatos masculinos. Percebendo que a situação financeira do lugar anda de mal a pior, o jovem e inexperiente chefe da fabrica, logo após conhecer uma drag-queen que canta em um cabaré, insiste para que ela (ele na verdade) o ajude na elaboração de uma linha de botas desenhada especialmente para um publico digamos, “não explorado” da maneira devida no ramo da moda: os transformistas. A chegada do novo “designer” de calçados obviamente traz os mais diversos tipos de respostas por parte da maioria dos funcionários mais antigos (“ é vergonhoso ter de dividir nosso espaço de trabalho com um afeminado”, pensam os mais conservadores)


Sinceramente, nunca havia levado a serio os trabalhos do ator Chiwetel Ejiofor... Só que depois de ter visto esse desempenho surpreendente (indicado ao globo de ouro na categoria melhor ator pelo ano de 2005) “queimei minha língua”, duvidando de sua capacidade. Basicamente, KINKY BOOTS carrega no enredo uma mensagem clássica, usada a exaustão no cinema: “quem vê cara, não vê coração”.não há problemas em se escrever uma historia cujo tema já foi discutido; o que realmente fará diferença é qual manera tu irá apresenta-la – e esse é um dos méritos do longa citado. Aproveite para descobrir essa “dramédia”. Vai valer cada centavo gasto na locação (ou não!).




Ano de Lançamento: 2007
Direção: Julian Jarrold
Atores/Artistas: Joel Edgerton e Chiwetel Ejiofor
País/Ano de Produção: EUA - 2005
Duração: 107 Minutos




trecho do filme (infelizmente nao consegui a tempo o trailer original de cinema):


NOTA PARA O FILME: 7.5

feito por Jeniss Alves Walker





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...