Alexis Zorba: aquele que nunca fica triste


Várzea Grande, 21 de Fevereiro de 2009. 08:10PM.


...Mais um post inútil...




falando francamente: não vejo necessidade de comentar sobre todos filmes vistos – digo, dedicar 50 ou 100 palavras p/ qualquer porcaria (nesse mês foram mais e piores). Levo p/ casa nesse fim-de-semana 3 DVDs inclusos naquela lista vagabunda do inicio do mês (confira aqui): Eu Sei que me Matou(I Know Who Killed me, 2007); O Julgamento do Diabo (Shortcut to Happiness, 2007); e Justiça a Qualquer Preço (The Flock, 2007). esse ultimo comecei a assistir durante o expediente contudo, com o aumento no movimento tive de retira-lo. Sinceramente não estava gostando nem um pouco do longa. Espero que melhore a partir da segunda metade em diante.

Não mencionei no post de ontem que assisti uma comedia dirigida e estrelada por Chris Rock, Acho que Amo Minha Mulher (I Think I Love My Wife, 2007). Assim como Cameron Diaz (e muitos outros astros), esse é mais um que nutro uma birra doentia. No filme, Rock interpreta o pai de família Richard Cooper. Apesar de ser profissionalmente bem-sucedido, Cooper sente-se infeliz com o marasmo do casamento. Tudo muda quando ele reencontra uma antiga colega de escola (Kerry Washington, gostosíssima). Porque da birra? Sempre considerei-o melhor roteirista que ator – o seriado todo Mundo Odeia o Chris é um exemplo claro do talento de Rock atrás das câmeras. Garanto a vocês que o filme melhoraria caso não tivesse como protagonista outro ator (ou não!!!). :P



fechando a seleção do Telecine proposta no inicio da semana (lista aqui), conferi na manha de hoje o contagiante Zorba: O Grego (Zorba: The Greek, 1964). Anthony Quinn(indicado ao Oscar por esse trabalho) tem aqui um dos melhores momentos da carreira interpretando o espirituoso Alexis Zorba, um camponês que muda completamente o modo de encarar a vida de um recém-chegado escritor inglês (Alan Bates). A simpatia de Alexis acaba tambem por encantar madame Hortense, uma velha prostituta francesa dona de um antigo hotel (Lila Kedrova em atuaçao que lhe conferiu o Oscar de melhor atriz coadjuvante). Emprestando as palavras de Zorba: “todos nós precisamos de um pouco de loucura em nossas vidas...”. Com uma simpatia ímpar, o personagem é do tipo que dificilmente deixa abater-se por algo. Apesar do clima festivo, vale ressaltar tambem o trabalho de Irene Papas, no papel de uma solitária viúva (há uma cena forte na metade final do longa envolvendo a personagem). Entretanto Zorba-O grego encanta por mostrar que todos podemos alcançar a felicidade e o bem estar da maneira mais simples que se imagina. Se estiveres triste e “p/ baixo”, dance(?!?!?!). Segundo Alexis Zorba, um remédio infalível.
clipe do filme clicando aqui



Volto depois p/ preparar uma lista com grandes produções do passado que pretendo conferir no TCM Classic Hollywood e Telecine (Cult). Ah sim! Ia me esquecendo. Um palpite p/ os vencedores do Academy Awards (considerando somente os principais prêmios):



melhor filme: Quem Quer Ser um Milionário (barbada n° 001)


melhor diretor: Danny Boyle, pelo filme Quem quer Ser um Milionário (barbada n° 002)


melhor ator: Mickey Rourke, pelo filme O Lutador (a categoria que mais aguardo)


melhor atriz: Kate Winslet, pelo filme O Leitor (finalmente!!!)


melhor ator Coadjuvante: Heath Ledger, pelo filme Batman – O Cavaleiro das Trevas (Barbada n° 003)




melhor atriz Coadjuvante:Penélope Cruz, pelo filme Vicky Cristina Barcelona (se aproveitando da ausencia de Kate).


Melhor roteiro Original: Milk – A Voz Da Igualdade (ultimamente roteiristas estreantes tem tido sorte nessa categoria. Outra desculpa: o filme de Van Sant não pode sair de mãos abanando, não é mesmo?)


melhor roteiro adaptado: Quem quer ser um Milionário (mais um dos muitos que receberá).




E é isso. Até mais.






:P
:P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...