Crítica do esquecível "Minha mãe quer que eu case"


Várzea Grande, 17 de Fevereiro de 2009. 07:45PM.

...Mais um post inútil...


Dia difícil no trabalho. Com o sistema operacional fora do ar por varias horas, tive de passar lo caçoes e devoluções manualmente. Deus sabe o quanto é complicado reorganizar essas tarefas depois. Perdi tanto tempo tentando consertar o problema que nem consegui assistir direito a comedia romântica Minha Mãe Quer Que Eu Case (Because i Said so, 2006). admito gostar muito dos trabalhos de Diane Keaton (Oscar de melhor atriz por Noivo Neurótico, Noiva Nervosa/Annie Hall, 1977). mas de uns 8 anos p/ cá, ela parece não se preocupar em escolher melhor seus papeis – curiosamente foi numa dessas inúmeras repetições que a eterna “Annie Hall” conseguiu uma indicação da Academia (Alguem tem que Ceder, 2003). até onde vi Minha Mãe Quer que Eu Case não estava de todo ruim(imaginei que fosse intragável) . Levarei o dvd p/ conferir o resto em casa amanha pela manha. Outro detalhe: não vejo e nunca vi graça alguma nas performances de Mandy Moore. Lembro-me da acolhida positiva do publico brazuca quando da chegada do Romance Um Amor p/ Recordar (A Walk To Remember, 2002). não me perguntem o porque do sucesso...

uma ultima coisa sobre o assunto “Diane Keaton”: todos aqueles atores com mais de 60 anos, consagrados pela critica e publico, parecem trilhar o mesmo caminho. com seus nomes fincados na historia dos cines, aceitam trabalhar em papeis insignificantes p/ garantir uma aposentadoria mais gorda. Mais isso leva a um outro assunto que futuramente poderá ser melhor discutido.

Algumas horas antes vi o drama O Ultimo Golpe (The Last Time, 2006), com Michael Keaton e Brendan Fraser. Da fita, só curti o final um tanto inesperado. De resto tudo esquecível, apesar de não ver motivos p/ uma indicação futura na minha galeria “Filme Inútil do Dia”.
trailer de O Ultimo Golpe clicando aqui


Devem ter percebido (ou não!!) que boa parte dos filmes comentados por aqui são muito antigos ou lançados há pouco em DVD. Não nego que gostaria de poder ir com mais frequencia aos cines. Infelizmente isso não acontece por duas razoes:

1- O Preço: arranjar 18 reais toda semana p/ assistir algo nos cines é financeiramente inviável a mim.
2- Indisponibilidade: poderia ir nos dias promocionais (5 reais, as terças e quartas). Contudo, o horário de funcionamento do Cinema bate exatamente com o do meu trabalho – das 13 as 21 horas. Até iria em algumas sessões especiais, iniciadas após as 21:30...se tivesse carro ou coisa parecida. Ser cinéfilo sai caro...muito caro. Se esse vive com 1 salario minimo então, nem se fala (hehehe!:P).

volto amanha p/ um breve comentário do filme Drugstore Cowboy, de Gus Van Sant, alem de comentar sobre coisas (in) úteis. Por enquanto é isso. Uma boa quarta-feira a todos e até mais.



:P
:P
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...