A Agenda Secreta do Meu Namorado: O melhor filme de Brittany Murphy; Sugestão de filmes com Temática GLS: Três Formas de Amar


Várzea Grande-MT, 23 de Março de 2009. 12:12PM.

...Mais um post inútil...


Só não postei minhas impressões sobre A Agenda Secreta do meu Namorado (Little Black Book, 2004) porque o assisti em dois períodos, não, o filme não estava ruim ou lerdo... Mas é que precisava acordar cedo p/ ir ao curso pré-vestibular. Reconheço que gosto bastante das performances de Brittany Murphy (Sin City, Recém-Casados...), uma atriz de talento subestimado apesar de não ter as mesmas oportunidades que um monte de bonitinhas dos cines (ponto p/ ela).

Na divertida comedia, Brittany interpreta a produtora associada Stacy Holt. Durante uma reunião com a equipe responsável por um show de TV a la Marcia Goldsmith, na busca de novas ideias, Stacy propõe um tema curiosamente pouco explorado: o que os homens guardam de tão importante em seus Palmtops?. Detalhe: a inspiração veio da desconfiança dela com relação ao companheiro de longa data (interpretado por Ron Livingston). Apesar do assunto já ter sido mais bem explorado (que o diga o seriado 30 Rock), A Agenda Secreta consegue destaque especialmente pelo bom elenco de coadjuvantes (Kathy Bates e Holly Hunter, sempre formidáveis). Brittany da um tom diferenciado ao desenvolver com eficiência as tradicionais neuroses femininas quando se trata da velha tentativa de entender o porquê da omissão masculina (p/ não dizer outra coisa, hehehe:P). No fim, volta-se a conclusão de sempre: viver uma relação afetuosa só com o intuito de satisfazer as vontades do companheiro (a) dificilmente traz finais felizes. Ou não!!!. Nora Ephron ficaria satisfeita.
ah sim! outra coisa jóia do filme: os interlúdios musicais ao som de Carly Simon. :)

Continuando o fim-de-semana, conferi durante o expediente de sabado a adoravel comedia romântica Três Formas de Amar (Threesome, 1994). estilosa e com boa trilha sonora, a inusitada historia narra a nada habitual amizade “colorida” entre dois colegas de quarto – Stuart (Stephen Baldwin), belo, arredio e falastrão e Eddy (Josh Charles), culto, indeciso e virgem – e Alex (Lara Flynn Boyle, a melhor personagem), recem-chegada academica de artes, obrigados a dividirem a mesma quitinete e, com o passar do tempo, virando alvo de gozação entre os vizinhos de pensão. Primeira coisa que pensei: provavelmente terá varias cenas tórridas de menage a trois. Segundo: o roteiro servirá basicamente como bucha de canhão, já que o importante nesse tipo de filme são outras características. Agradável engano: o simpático enredo desenvolve abertamente e de maneira bem humorada, não só as incógnitas do primeiro amor (Eddy não consegue ficar com Alex sem que o amigo Stuart esteja por perto) como também das escolhas que definem p/ sempre o carater de uma pessoa, normalmente decididas durante os excelentes (pelo menos a mim, até agora) vinte e poucos anos. Alex, que Gosta de Eddy, que Gosta de Stuart e Alex. O amor e suas razões malucas.

Esta chovendo horrores agora. Deixo minhas impressões sobre Metrópolis p/ amanha. Abraço a todos e até mais.

ouça:

Carly Simon - Nobody does ir better

:)
:)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...