James McAvoy é O Procurado


Várzea Grande-MT, 20 de Março de 2009. 06:32PM.



...Mais um post inútil...






Pouca coisa interessante no dia. Com o fim-de-semana chegando, terei um tempinho extra p/ postar o desafio “Reformulação do Oscar”. A premiação a ser comentada corresponderá ao ano de____. Gostaria de propor algo p/os colegas blogueiros, mas ainda estou pensando em como transmitir a ideia. Também estou preparando algo jóia para o mês de Abril. Aguardem... Vamos aos filmes?



Assim como ontem, conferi dois filmes, sendo um revisto:


Seria ousado dizer que O Procurado (Wanted, 2008), de Timur Bekmambetov é um dos melhores “filhotes” de Matrix??. O incrível – e bota incrivel nisso – longa de ação fixa a atenção no insignificante e mal tratado contador Wesley Gibson (James McAvoy, de Amor e Inocência), recrutado de surpresa por uma milenar fraternidade de assassinos e de inicio, treinado por uma bela mentora, Fox(Angelina Jolie, repetindo os trejeitos de Tomb Raider). O fato transforma completamente a vida de Gibson que, aos poucos, vai descobrindo habilidades que nem ele mesmo imaginava possuir (um tiro certeiro na asa de uma mosca!!!). Já conhecia alguns dos filmes que revelariam o talento do diretor de Guardiões da Noite, tratando suas obras com notável apuro visual. Ainda assim fiquei estupefato devido a boa adaptação da trama (inspirada em uma HQ pouco conhecida) e principalmente por toda a concepção técnica do longa, trazendo ao publico(sem exageros) as melhores cenas de ação do ano que passou – acidentes de trem, atiradores de elite fora do comum e tiros que fazem curva(?!?!?!),só p/ citar uns exemplos. Nem preciso dizer que não recomendo o filme aqueles que detestam cenas que desrespeitam as leis da física. Mas sinceramente: é esse tipo de coisa que dá credibilidade a esse tão amado e idolatrado gênero (ao menos p/ mim). James McAvoy como o protagonista Gibson, prova também que tem carisma de sobra p/ segurar com firmeza filmes direcionados p/ públicos mais vastos (não me lembro dele trabalhando em fitas de sucesso entre o grande publico). Só a cena do tiroteio com direito ao choque de duas balas já vale a conferida – ou não!!!. e que venha a continuação...







logo após assisti um curioso longa premiado em Sundance, inspirado em fatos verídicos chamado Tolerância Zero(The Believer, 2001). O talentosíssimo Ryan Goslin interpreta o skinhead Danny Balint. Com o passar dos anos, Balint, que frequentava uma escola judia em Nova York, torna-se um adulto violento e pregador do anti-semitismo, mesmo que por as vezes se sinta inseguro com as atitudes praticadas. Lembra muito A Outra Historia Americana (American History X, 1998), tanto na concepção crua quanto na ideologia perigosa, apesar de não ter a mesma verve que a fita estrelada pelo nomeado ao Oscar Edward Norton. Contudo, retrata com franqueza o velho assunto sobre a intolerância aos judeus, focando com mais precisão nas discussões acerca das razoes que levaram a tal nefasto comportamento. Uma grata surpresa do mês, com direito a boa participação do pavoroso Billy Zane (hehehe :P).



Enquanto escrevia esse texto, assistia a trechos do musical Across the Universe. Cada vez que me deparo c/ a fita, confirmo mais e mais minhas impressões: um belíssimo trabalho técnico prejudicado por uma trama irregular cujo principal atrativo – as canções dos Beatles – é inserido de maneira um tanto bagunçada. Ainda assim, um bom filme. Volto amanha p/ postar minha seletiva de filmes na TV paga da semana. Um abraço a todos, um bom fim-de-semana (ufff!) e até mais.

ouça:

Bee Gees - Bee Gees - More than a woman - Cigana Luiza

:)
:)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...