Rede De Mentiras: uma guerra inútil contra o terrorismo


Várzea Grande-MT, 19 de Março de 2009. 07:02PM.



...Mais um post inútil...





O post sobre o Adsense pelo visto teve boa repercussão de alguns camaradas. Quem dera se tivesse 500 visitas diárias, como Red Dust falou. Por enquanto sigo o conselho do colega Johnny e de muitos outros Blogueiros: quer aumentar o numero de frequentadores de sua pagina? Simples: visite o website deles. Comente. Atualize toda semana (se puder todos os dias), entre outras coisas. Vamos aos filmes.





Hoje um inédito e um revisto.


Surpreendeu-me muito A Mão do Diabo (Frailty, 2001), primeiro trabalho do ator Bill Paxton como diretor. Enredo imprevisível e um tanto paranóico, boas atuações (destaque p/ os dois garotinhos) e principalmente com um clima que remete a alguns clássicos dos anos 60/70. Um pacato homem tem a vida transformada depois de receber uma missão de Deus: eliminar demônios que vivem na Terra disfarçados de pessoas aparentemente comuns. Paro por aqui a sinopse. Uma palavra p/ o filme: perturbador.




Aproveitando o fraco movimento em decorrência de uma intensa chuva, revi o thriller Rede De Mentiras (Body of Lies, 2008). A produção assinada pelo seguro Ridley Scott tem um inicio promissor, mostrando uma espécie de monólogo de um dos personagens principais a respeito da inutilidade da guerra. Mesma com todas as opções disponíveis, os ditos favorecidos sempre estarão um passo atrás do “inimigo”: a capacidade de adaptação do ser humano, independente da situação, sempre será gigantesca. O sempre eficiente Leonardo Di Caprio interpreta Roger Ferris, um agente de campo recolhendo informações que possam capturar um grupo terrorista, localizado no Iraque, responsável por múltiplos atentados à bomba em diversos países. Guiando Ferris via satélite esta o astuto Ed Hoffman (Russel Crow, gordo e envelhecido). conforme o perigo aumenta, Roger Passa cada vez mais a desconfiar das decisões do líder, alem de questionar sobre o verdadeiro propósito do trabalho pelo qual foi designado. Apesar de cair no lugar comum a partir da segunda metade, Rede de Mentiras mantém a atenção principalmente pelo ritmo frenético (pulei da cadeira na cena em Amsterdam), da impecável parte técnica e em especial, do bom duelo Di Caprio vs Crowe. Confira






é bem provável que escreva amanha sobre O Procurado (Wanted, 2008), filme-viagem do ano passado (hehehe :P). Um abraço a todos, boa sexta-feira e até mais.

Ouça:


Coldplay - Talk ( Old Version )

:)
:)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...