Crítica do interessante Reflexos da Amizade e do divertido A Gaiola das Loucas


Várzea Grande-MT, 24 de Abril de 2009. 05:28PM.

...Mais um post inútil...

Os professores deveriam pensar melhor antes de pedir aos alunos resenhas de filmes como trabalho escolar. Explico o porquê: como se já não bastasse a dificuldade em se encontrar longas como A Guerra do Fogo (La Guerre du Feu, 1981), 1984 (Nineteen Eighty-Four, 1984) ou O Enigma de Kaspar Hauser (Jeder für Sich und Gott Gegen Alle, 1974), o aluno ainda acaba se deparando com outro empecilho: o processo de “extinção” que o segmento de videolocadoras vem enfrentando. Uma boa alternativa para solucionar essa situação seria a aquisição de filmes específicos pelas próprias instituições de ensino. Infelizmente são poucas as que prontificam de fazer isso (por aqui, a UFMT é uma dessas). Falei tudo isso porque preciso entregar uma resenha do filme O Nome da Rosa (Der Name der Rose, 1984), de Jean Jacques-Annaud (curiosamente o mesmo de A Guerra do Fogo). Deve ser uma obra de grande relevância para justificar a procura semanal dos clientes.

Entre quinta e sexta-feira, dois conferidos:

Apesar de ser um tanto mais do mesmo, gostei do drama Reflexos da Amizade (House of D., 2004), de David Duchovny. Escrito em 6 dias pelo eterno “Fox Mulder” narra o inicio da adolescência do pouco popular Tommy Warshall (Anton Yelchin, grande achado) e sua amizade com um homem de 41 anos, deficiente (baixo Q.I.). toda historia é narrada pelo protagonista já adulto. Filmes sobre superação às vezes cansam. Esse só vale uma conferida em razão do trabalho esforçado de Duchovny. Talvez alguns não irão gostar das caracterizações de Robin Williams – para muitos, um eterno caricato – e Tea Leoni, no papel da depressiva mãe do protagonista. Recomendável.

Na tarde de Sexta-feira, me diverti muito com a comedia The Birdcage: A Gaiola das Loucas (The Birdcage, 1996). Após saber que o filho se casará com uma moça de família ultraconservadora, Armand, juntamente com o companheiro Albert – casal bem sucedido, proprietários de uma casa noturna GLS – precisará se passar por pessoas de bons costumes e causar uma boa impressão no jantar que confirmará a união das famílias. Agilidade, boas canções, visual charmoso (cortesia do indicado ao Oscar Bo Welch) e é claro, uma presença iluminada de Nathan Lane como a tresloucada(o) Albert fazem desse trabalho do conceituado Mike Nichols um dos melhores do subgênero.

trailer de Reflexos da Amizade clicando aqui




Volto amanha para comentar um pouco sobre duas cinebiografias do macedônico Alexandre III (336 a. C/ 323 a. C). bom sábado a todos e até mais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...