O REI LEÃO (EUA, 1994) ****

O REI LEÃO (The Lion King). EUA, 1994. Direção: Roger Allers, Rob Minkoff. Elenco (vozes): Matthew Broderick, Jonathan Taylor Thomas, Jeremy Irons, James Earl Jones, Whoopi Goldberg, Moira Kelly, Nathan Lane, Rowan Atkinson, Cheech Marin. 88 min.


O Rei Leão conta a história de Simba e seu pai Mufasa, que o treina para substituí-lo em seu reinado, quando este morrer. No caminho dos dois está o invejoso irmão de Mufasa, Scar que quer a coroa para si, então arma um plano para matar seu irmão. O plano dá certo e Simba sentindo-se culpado pela morte do pai, foge e todos pensam que ele está morto. Scar então assume o trono até que Simba se dê conta de que os seus precisam ser salvos e vai ao socorro deles para recuperar o que é seu de direito.

Mufasa é como se fosse Deus treinando seu filho para substituí-lo e assumir o seu reino, mas é atrapalhado por seu irmão invejoso que é como o mal encarnado para atrapalhar os seus planos e tirar Simba do caminho certo. O cemitério de elefantes, onde desde o início Mufasa proíbe Simba de ir, funciona como a maçã do jardim do Éden, quando Deus proibiu Adão e Eva de comerem, mas eles ficaram tentados e Adão foi convencido por Eva. Aqui não é a amada de Simba, a culpada e sim o tio maldoso, Scar.

O Rei Leão lembra muito a peça “Hamlet” de Willian Shakespeare, onde o irmão do rei o mata para roubar seu trono, mas depois o filho é avisado em sonho pelo pai, o que também acontece aqui, quando Mufasa conta para seu filho tudo o que aconteceu e o lembra da necessidade de fazer alguma coisa. Novamente aqui a semelhança com Cristo, pois Simba percebe que o seu reino e seus amigos e família estão em perigo e atua como o salvador deles.

O mito das estrelas: Mufasa explica para Simba que as estrelas representam os reis que já morreram e continuam lá em cima olhando por aqueles que ficaram na Terra e que quando ele morrer também vai ser assim.

Fala também do ciclo da vida: nascimento, crescimento e morte e a aceitação de cada uma dessas etapas. Da importância dos amigos para ajudar a vencer os obstáculos, bem como da família que é o alicerce de tudo. Da continuação dos pais através dos filhos, pois estes continuam vivendo em seus filhos, seu sangue, sua carne, bem como a educação que lhe deram, seu modo de vida. E que às vezes nos esquecemos do caminho e acabamos nos perdendo, daí a necessidade de lembrar sempre de quem somos, pois apesar de mudarmos, continuamos sendo a mesma pessoa e é isso que Mufasa relembra a Simba: “Lembre-se de quem você é!”


Como na vida real, às vezes o mal parece ser mais forte que o bem, já que vence muitas batalhas, é traiçoeiro, falso, mas no fim o bem sempre prevalece, por isso é melhor estar do lado do bem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...