PAGANDO BEM, QUE MAL TEM?


O diretor Kevin Smith começou carreira de forma independente com “O balconista” que custou pouco mais de US$ 27 mil e lançou a dupla de personagens Jay e Silent Bob (feitos por ele e Jason Mewes, que participaram dos quatro filmes seguintes de Smith). Parecia ter se perdido com “O império (do besteirol) contra-ataca” e “Menina dos olhos”, mas se encontrou com a divertida comédia “Pagando bem, que mal tem?”.

Zack (Seth Rogen) e Miri (Elizabeth Banks) são amigos e moram juntos há 10 anos (desde a formatura) para dividir as contas, que só ficam atrasadas. Depois que eles têm a água e a energia cortadas, percebem que precisam fazer alguma coisa. Numa festa com os colegas da escola, reencontram Bobby (Brandon Routh de Superman - O retorno) que tem um namorado (Justin Long de Ele não está tão a fim de você) e são atores pornôs. É Brandon que dá a idéia para Zack e Miri entrarem nesse ramo. A participação dele e de Justin Long é pequena, mas muito engraçada (os dois aparecem novamente nos créditos finais), brigam o tempo inteiro e discutem a relação em público.

Zack e Miri planejam, junto com outros amigos uma paródia pornô de Guerra nas estrelas (Vadia nas estrelas), mas têm que mudar os planos depois que todo o cenário é destruído, mas eles dão um jeito de filmar em outro lugar.

Há muitos palavrões e alguma nudez nessa comédia debochada sobre o mundo pornô, mas “Pagando bem, que mal tem” (cujo título original é Zack e Miri fazem um pornô) não é só sobre isso. É a respeito do amor que surge de onde menos se espera, já que Zack e Miri percebem que o que sentem não é só amizade. É um filme muito engraçado, mas não descerebrado sobre sexo e sua conseqüência: o amor (ou vice-versa).


Hoje às 18h15 no Telecine Premium

ou



 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...